APRESENTADOR, LEVANTADOR DE TOADAS, BATUCADA, MARUJADA, AMO DO BOI, TOADA, VAQUEIRADA

 
 
 
 
APRESENTADOR, LEVANTADOR DE TOADAS, BATUCADA, MARUJADA, AMO DO BOI, TOADA, VAQUEIRADA

A cada noite são escolhidos 21 ou 22 itens a serem julgados por um grupo composto de 12 jurados (clique   aqui   para ver o regulamento completo).

A nota mínima é 7 e a máxima é 10, podendo-se usar frações. No entanto, quando a Associação não apresenta algum item que estiver sendo julgado naquela noite, ela recebe nota zero no item, ainda que seja apresentado em qualquer das outras noites.

A cor do outro Bumbá só pode ser usada em casos excepcionais, como uma alegoria que naturalmente tenha que ser azul ou vermelha, do contrário, é proibida sua utilização.

Os itens: “beleza”, “criatividade”, “simpatia”, “originalidade” e “carisma” são julgados em todas as apresentações. São escolhidos ainda, alguns dos seguintes itens para compor os critérios da votação:

APRESENTADOR: É o Mestre de Cerimônia. Precisa ter domínio de arena e de público, fluência verbal, impostação de voz, ótima dicção, alegria e atenção a tudo o que se passa dentro da arena.

LEVANTADOR DE TOADAS: Marca o centro do espetáculo. Sua voz conduz o tema. Precisa ter afinação, dicção, timbre e técnica de canto.

BATUCADA OU MARUJADA: Dá sustentação rítmica à apresentação. Serve de base ao espetáculo, fornecendo o ritmo das toadas. Deve ter cadência e harmonia.

RITUAL INDÍGENA: Recriação de um ritual xamanístico, dentro do contexto folclórico; fundamentado através de pesquisa. Leva-se em conta a teatralização e os efeitos criados.

PORTA-ESTANDARTE: Representa o símbolo do Boi em movimento. Ela deverá ter garra, desenvoltura, elegância, alegria, sincronia de movimentos entre o bailado e o estandarte.

AMO DO BOI: É o dono da fazenda. Precisa ter boa dicção, desenvoltura e elegância, desempenhar expressões cênicas e ser capaz de criar com muita qualidade poemas improvisados.

SINHAZINHA DA FAZENDA: É a filha do dono da fazenda. Precisa ter graça, desenvoltura, simplicidade, alegria, saudando o boi e do público.

RAINHA DO FOLCLORE: Representa a expressão do poder, pela manifestação popular. Deve possuir graça, movimentos com desenvoltura, incorporação, indumentária.

CUNHÃ-PORANGA: Representa a moça bonita, uma sacerdotisa, guerreira e guardiã. Expressa a força através da beleza. Deve possuir desenvoltura e incorporar a personagem.

BOI BUMBÁ EVOLUÇÃO: É o símbolo da manifestação popular. Motivo e razão de ser do festival. Deve ter geometria idêntica, leveza, alegria, evolução, encenação, coreografia e movimentos de um boi real.

TOADA (LETRA E MÚSICA): Suporte literário e musical do festival. Avalia-se a melodia, a métrica, o conteúdo, a composição, a harmonia. Deve servir de elo entre a individualidade e o grupo. Agregando elementos históricos, geográficos, culturais e sociais, desde os momentos primitivos até os nossos dias em sua interpretação.

PAJÉ: É o curandeiro, xamã, sacerdote. Ponto de equilíbrio das tribos. Precisa apresentar expressão corporal e facial, movimentos harmônicos, segurança e domínio do espaço cênico.

TRIBOS INDÍGENAS: Apresentação de um agrupamento nativo da Amazônia. Considera-se: sincronia de movimentos, fidelidade às raízes, cores, expressões cênicas, formas de dançar e movimentos originais.

PAI FRANCISCO E MÃE CATIRINA: Marido e mulher, figuras folclóricas e burlescas da fazenda. Apresentam-se de forma desenvolta, artística, cômica, engraçada e improvisada.

TUXAUAS: Chefe supremo da tribo. Representação alegórica do imaginário indígena e caboclo da Amazônia. Manter a fidelidade ao tema da noite, ser rico em detalhes nas confecções do capacete.

FIGURA TÍPICA REGIONAL: Algum símbolo da cultura amazônica, que homenageie as raízes da terra.

ALEGORIA: Estrutura artística que funciona como suporte e cenário para a apresentação. Considera-se acabamento, execução, funcionalidade, porte e estética.

LENDA AMAZÔNICA: Ficção que retrata e ilustra a cultura e o folclore de um povo. Imaginação, envolvimento e encenação são importantes neste item.

VAQUEIRADA: Guardiã do Boi. Deve apresentar tradição, sintonia e coreografia.

GALERA: Massa humana que forma uma das maiores coreografias uníssonas do mundo. Elemento de apoio ao espetáculo, dando estímulo à apresentação. Alegria, energia contagiante, sincronia, garra, evolução e empolgação.

ORGANIZAÇÃO E CONJUNTO FOLCLÓRICO - APOTEOSE: Reunião de itens: individuais, artísticos e coletivos, embasados no conteúdo da noite, dispostos organizadamente na arena. Considera-se: harmonia, velocidade de apresentação, liberdade de movimentos na arena e tempo compatível.

COREOGRAFIA: Os movimentos de dança apresentados durante todo o espetáculo. Avalia-se: dinâmica, movimentos, ritmo e sincronia.